Posição do DIU ultrassom


O dispositivo intrauterino (DIU) está ganhando popularidade como uma forma reversível de contracepção.


A ultrassonografia é o método inicial mais comum de avaliação devido à sua relação custo-benefício, falta de radiação ionizante e maior detalhamento da anatomia pélvica. É o exame de primeira linha para a avaliação da posição do DIU. É também o método de escolha para avaliar pacientes com dor pélvica, sangramento anormal, menstruação ausente ou com suspeita de DIU mau posicionado. A ultrassonografia tridimensional é ainda mais sensível na avaliação de achados mais sutis de mau posicionamento.


Os problemas associados a DIU mal posicionados incluem expulsão, deslocamento e perfuração. A conduta a ser tomada frente a isso depende da gravidade do mau posicionamento e da presença ou ausência de sintomas.


Como avaliar a posição do DIU no ultrassom?


  • A haste é geralmente facilmente identificada no padrão bidimensional (2D) ultrassonografia transvaginal como uma estrutura ecogênico linear.

  • O DIU deve estar centrado na cavidade uterina

  • Sua extremidade superior deve manter uma distância de no máximo 25 mm do contorno externo da cavidade uterina (serosa)

  • A distância da extremidade superior do DIU até a cavidade endometrial deve ser menor que 5 mm.

  • A porção distal não deve ultrapassar o orifício interno cervical, de modo a se localizar total ou parcialmente no canal cervical.

Embora os braços do DIU de cobre também sejam totalmente ecogênicos, os braços do DIU liberador de levonorgestrel (Mirena) são apenas ecogênicos e visíveis nas extremidades proximal e distal, com sombra acústica central posterior característica em imagens transversais


O ultrassom tridimensional (3D) estão sendo cada vez mais utilizados, particularmente na visão coronal, o que permite uma avaliação mais cuidadosa do posicionamento do braço.

Tipos de dispositivos intrauterinos mal posicionados:

  • Expulsão - Passagem parcial ou total através do orifício cervical externo

  • Deslocamento - Rotação ou com posicionamento localizado longe do fundo e dentro do segmento uterino inferior ou do colo do útero

  • Embutido - Penetração do miométrio sem extensão através da serosa

  • Perfuração - Penetração através do miométrio e da serosa, parcial ou completamente

A expulsão ou o deslocamento intra-uterino do DIU leva à diminuição da eficácia contraceptiva e deve ser claramente comunicada, uma vez que justifica a substituição do DIU para evitar uma gravidez não planejada. Entretanto, a migração do DIU de sua posição normal no fundo uterino é uma complicação frequentemente encontrada, variando de expulsão uterina a deslocamento para o canal endometrial e até a perfuração uterina.


A eficácia contraceptiva do DIU está associada à localização intra-uterina adequada. Em particular, um DIU em uma localização cervical está associado a um aumento da gravidez acidental em comparação com um DIU posicionado adequadamente. Um DIU de cobre