Megabexiga fetal


Megabexiga fetal refere-se a uma bexiga urinária anormalmente grande observada na ultrassonografia.

Isso ocorre no período pré-natal em cerca de 1 em 1.500 gestações, com muito mais frequência em meninos do que em meninas.


No ultrassom de primeiro trimestre (11-14 semanas), a megabexiga é diagnosticado se o diâmetro longitudinal da bexiga for maior que 7 mm.


Durante a vida fetal, os rins fetais produzem urina, que é passada para a bexiga por meio de tubos chamados ureteres.


A urina é armazenada na bexiga até ser liberada por outro tubo chamado uretra, que transporta a urina para fora do corpo.

Na maioria dos casos, o megabexiga ocorre quando alguma condição impede a passagem normal da urina.


Como acontece uma megabexiga fetal?


A megabexiga é mais freqüentemente causada por condições obstrutivas que bloqueiam a uretra, como as válvulas de uretra posterior, ou malformação da uretra, como estenose (estreitamento ou enrijecimento) ou atresia (falha no desenvolvimento); ou cloaca persistente (uma malformação anatômica complexa do desenvolvimento).


Em outros casos, a megabexiga é causada por distúrbios neurológicos e / ou genéticos (ou seja, síndrome de hipoperistalse intestinal do microcólon megabexiga) que impedem a bexiga de urinar normalmente.


Quando a megabexiga é observada na ultrassonografia fetal, levanta a suspeita de que pode haver obstrução (bloqueio) ou constrição (estreitamento) da uretra, que está impedindo a urina de sair da bexiga. Essa é a causa em pouco mais da metade dos casos. Com o tempo, isso pode levar à existência de muito pouco líquido amniótico ou oligoidrâmnio.

O acúmulo de urina na bexiga também pode causar danos aos ureteres e aos rins. O líquido amniótico que envolve e protege o feto no útero é composto principalmente de urina fetal. Conforme o feto cresce, ele puxa o líquido para os pulmões para ajudá-los a se desenvolver. O efeito de amortecimento do fluido ao redor do bebê permite que seus músculos e ossos se desenvolvam adequadamente.


Em casos de obstrução completa, a incapacidade de a urina ser liberada no espaço de líquido amniótico ao redor do feto faz com que a bexiga aumente e os níveis de líquido amniótico diminuam (oligoidrâmnio), o que pode resultar em subdesenvolvimento dos pulmões (hipoplasia pulmonar), uma condição com risco de vida. Também existe o risco de anormalidades cromossômicas associadas ou defeitos genéticos específicos.


O prognóstico depende da causa subjacente e da gravidade da obstrução, bem como da presença ou ausência de outros achados.


Devo fazer mais exames?


Se o seu médico achar que seu bebê tem um problema causado por defeitos cromossômicos ou genéticos específicos, você pode ser encaminhado para teste genético e aconselhamento. O seu médico irá colher uma amostra de células da placenta (biópsia da placenta, BVC) no primeiro trimestre ou uma amostra de células do líquido amniótico (amniocense) no segundo trimestre, para obter células do corpo, que pode ser verificado quanto à presença de um cromossomo anormalidades ou defeitos genéticos específicos.

Além disso, seu médico pode encaminhá-lo a especialistas. Você pode precisar de mais exames de ultrassom durante a gravidez.



Quais são as coisas a serem observadas durante a gravidez?


Os megabexiga detectada precocemente podem se resolver espontaneamente ou progredir ao longo da gravidez. Seu cuidador provavelmente solicitará exames de ultrassom em série, para observar cuidadosamente para avaliar se a megabexiga está afetando o crescimento e o bem-estar do seu bebê. Os seus cuidadores irão aconselhá-la à medida que a gravidez progride.


O que isso significa para meu bebê antes de nascer?


O gerenciamento dependerá da causa subjacente da megabexiga. Um especialista em medicina fetal discutirá com você o tratamento ideal adequado para seu bebê. Se o feto é cromossomicamente anormal, há oligoidrâmnio grave, o diagnóstico é feito no início da gravidez ou se houver evidência de displasia renal na ultrassonografia, algumas pessoas decidem interromper (interromper) a gravidez. Mas isso não é permitido no Brasil sem autorização judicial. Esta é uma decisão muito pessoal. Um profissional de saúde falará com você e apoiará qualquer decisão que você tomar. Para fetos cromossomicamente normais, o tratamento pré-natal intrauterino pode ser viável.