Translucência Intracraniana


Entendendo um pouco da anatomia e das recomendações para medida da Translucência Intracraniana:

1. O período gestacional deve ser de 11 a 13 semanas e seis dias. 2. O comprimento cabeca nádega fetal (CCN) deve estar entre 45 e 84 mm. 3. A ampliação da imagem deve ser tal que a cabeça e o tórax fetal ocupem toda a tela. 4. Uma visão sagital mediana da face deve ser obtida. Isto é definido pela presença da ponta ecogênica do nariz e forma retangular do palato anteriormente, o diencéfalo translúcido no centro e a membrana nucal posteriormente. Pequenos desvios do plano médio exato causariam a não visualização da ponta do nariz e a visibilidade do processo zigomático da maxila. 5. A Translucência Intracraniana (TI) é identificada na imagem sagital mediana da face fetal como um espaço claro delimitado anteriormente pela borda posterior do tronco encefálico e posteriormente pelo plexo coróide do quarto ventrículo 6. Translucência Intracraniana foi categorizada como normal, obliterada ou não clara. A coluna fetal deve examinada com detalhe.

O defeito do tubo neural (DTN) é uma anomalia congênita grave associada à mortalidade e à incapacidade ao longo da vida, tornando a prevenção do defeito do tubo neural aberto (ONTD) um problema global. O diagnóstico de espinha bífida aberta no período pré-natal é feito rotineiramente no segundo trimestre, usando sinais de limão e banana na ultrassonografia. O quarto ventrículo é visto como Translucência intracraniana (TI) entre 11 e 13 + 6 semanas de gestação. A TI quando obliterada é identificada como um marcador para defeito de fechamento do tubo neural.


marketing medico digital.png