Tristeza pós parto (Baby Blues) ou depressão?


Os sinais e sintomas de depressão após o parto variam e podem variar de leves a graves.

O nascimento de um bebê pode desencadear uma confusão de emoções poderosas, desde excitação e alegria até medo e ansiedade. Mas também pode resultar em algo que você não esperava - depressão.


A maioria das novas mães experimenta uma tristeza após o parto, chamada por alguns de baby blues, o que geralmente inclui alterações de humor, crises de choro, ansiedade e dificuldade para dormir. O Baby blues geralmente começa nos primeiros dois a três dias após o parto e pode durar até duas semanas e é uma reação normal. Geralmente desencadeada pela insegurança com os cuidados e com a alimentação do bebê associada a privação de sono e alterações hormonais abruptas.


Mas algumas novas mães experimentam uma forma de depressão mais grave e duradoura, conhecida como depressão pós-parto. Raramente, um transtorno de humor extremo denominado psicose pós-parto também pode se desenvolver após o parto.


A depressão pós-parto não é uma falha de caráter ou uma fraqueza. Às vezes, é simplesmente uma complicação do parto. Se você tiver depressão pós-parto, o tratamento imediato pode ajudá-la a controlar seus sintomas e a se relacionar com seu bebê.



Sintomas do Baby blues ou tristeza pós parto


Os sinais e sintomas duram apenas alguns dias a uma ou duas semanas após o nascimento do bebê - podem incluir:


  • Mudanças de humor

  • Ansiedade

  • Tristeza

  • Irritabilidade

  • Sentindo-se sobrecarregado

  • Chorando

  • Concentração reduzida

  • Problemas de apetite

  • Dificuldade em dormir

  • Sintomas de depressão pós-parto


Sintomas de depressão pós parto


A depressão pós-parto pode ser confundida com a tristeza no início - mas os sinais e sintomas são mais intensos e duram mais tempo, e podem eventualmente interferir na sua capacidade de cuidar do bebê e realizar outras tarefas diárias. Os sintomas geralmente se desenvolvem nas primeiras semanas após o parto, mas podem começar mais cedo - durante a gravidez - ou mais tarde - até um ano após o nascimento.


Os sinais e sintomas de depressão pós-parto podem incluir:


  • Humor deprimido ou alterações graves de humor

  • Choro excessivo

  • Dificuldade em se relacionar com seu bebê

  • Perda do cuidado próprio (não toma banho, troca de roupa ou escova os dentes)

  • Afastando-se da família e amigos

  • Perda de apetite ou alimentação muito mais do que o normal

  • Incapacidade de dormir (insônia) ou dormir muito

  • Fadiga ou perda de energia

  • Menor interesse e prazer nas atividades que costumava desfrutar

  • Irritabilidade e raiva intensas

  • Medo de não ser uma boa mãe

  • Desesperança

  • Sentimentos de inutilidade, vergonha, culpa ou inadequação

  • Capacidade diminuída de pensar com clareza, concentrar-se ou tomar decisões

  • Inquietação

  • Ansiedade severa e ataques de pânico

  • Pensamentos de prejudicar a si mesma ou ao seu bebê

  • Pensamentos recorrentes de morte ou suicídio

A depressão pós-parto não tratada pode durar muitos meses ou mais.


Psicose pós-parto


A psicose pós-parto - uma condição rara que geralmente se desenvolve na primeira semana após o parto - os sinais e sintomas são graves. Os sinais e sintomas podem incluir:


  • Confusão e desorientação

  • Pensamentos obsessivos sobre seu bebê

  • Alucinações e delírios

  • Distúrbios do sono

  • Excesso de energia e agitação

  • Paranóia

  • Tenta prejudicar a si mesmo ou seu bebê

A psicose pós-parto pode levar a pensamentos ou comportamentos potencialmente fatais e requer tratamento imediato.


Depressão pós-parto em novos pais


Novos pais também podem sofrer de depressão pós-parto. Elas podem se sentir tristes ou fatigadas, ficar sobrecarregadas, sentir ansiedade ou ter mudanças em seus padrões habituais de alimentação e sono - os mesmos sintomas que as mães com depressão pós-parto apresentam.


Os pais jovens, com histórico de depressão, com problemas de relacionamento ou com dificuldades financeiras, apresentam maior risco de depressão pós-parto. A depressão pós-parto em pais - às vezes chamada de depressão pós-parto paterna - pode ter o mesmo efeito negativo nos relacionamentos com o parceiro e no desenvolvimento infantil que a depressão pós-parto em mães.


Se você for um novo pai e estiver apresentando sintomas de depressão ou ansiedade durante a gravidez de seu parceiro ou no primeiro ano após o nascimento de seu filho, converse com seu profissional de saúde. Tratamentos e apoios semelhantes fornecidos a mães com depressão pós-parto podem ser benéficos no tratamento da depressão pós-parto em pais.


Quando procurar ajuda médica


Se você está se sentindo deprimido após o nascimento do seu bebê, pode ficar relutante ou envergonhado em admitir. Mas se você sentir quaisquer sintomas de tristeza pós-parto ou depressão pós-parto, ligue para seu médico e marque uma consulta. Se você tiver sintomas que sugiram que você pode ter psicose pós-parto, procure ajuda imediatamente.


É importante ligar para o seu médico o mais rápido possível se os sinais e sintomas de depressão apresentarem alguma destas características:


  • Não desaparece depois de duas semanas

  • Estão piorando

  • Tornar difícil para você cuidar de seu bebê

  • Torna difícil concluir as tarefas diárias

  • Inclua pensamentos de machucar a si mesmo ou ao seu bebê

  • Se você tem pensamentos suicidas


Se a qualquer momento você tiver pensamentos de machucar a si mesma ou a seu bebê, procure imediatamente a ajuda de seu parceiro ou entes queridos para cuidar de seu bebê e ligue para o número de emergência local para obter ajuda.


Considere também estas opções se estiver tendo pensamentos suicidas:


  • Procure ajuda de seu provedor de cuidados primários ou outro profissional de saúde.

  • Chame um profissional de saúde mental.

  • Ligue para uma linha direta de suicídio 188 - centro de valorização da vida Ou acesse: https://www.cvv.org.br/

  • Estenda a mão para um amigo próximo ou ente querido.

  • Contate um ministro, líder espiritual ou outra pessoa em sua comunidade religiosa.

  • Ajudar um amigo ou ente querido


Pessoas com depressão podem não reconhecer ou reconhecer que estão deprimidas. Eles podem não estar cientes dos sinais e sintomas de depressão. Se você suspeitar que um amigo ou ente querido tem depressão pós-parto ou está desenvolvendo psicose pós-parto, ajude-o a procurar atendimento médico imediatamente. Não espere e espere por melhorias.


Quais as causas de depressão pós parto?

Não há uma causa única para a depressão pós-parto, mas problemas físicos e emocionais podem ter um papel importante.


  • Mudanças físicas.

Após o parto, uma queda dramática nos hormônios (estrogênio e progesterona) em seu corpo pode contribuir para a depressão pós-parto. Outros hormônios produzidos pela glândula tireóide também podem cair acentuadamente - o que pode fazer com que você se sinta cansado, lento e deprimido.


  • Questões emocionais.

Quando você está com falta de sono e oprimido, pode ter problemas para lidar com problemas menores. Você pode estar preocupado com sua capacidade de cuidar de um recém-nascido. Você pode se sentir menos atraente, ter dificuldades com seu senso de identidade ou sentir que perdeu o controle sobre sua vida. Qualquer um desses problemas pode contribuir para a depressão pós-parto.


  • Fatores de risco

Qualquer nova mãe pode experimentar depressão pós-parto e pode se desenvolver após o nascimento de qualquer filho, não apenas o primeiro. No entanto, seu risco aumenta se:


- Você tem um histórico de depressão, seja durante a gravidez ou em outros momentos

- Você tem transtorno bipolar

- Você teve depressão pós-parto após uma gravidez anterior

- Você tem familiares que tiveram depressão ou outros transtornos de humor

- Você passou por eventos estressantes durante o ano passado, como complicações na gravidez, doença ou perda do emprego

- Seu bebê tem problemas de saúde ou outras necessidades especiais

- Você tem gêmeos, trigêmeos ou outros nascimentos múltiplos

- Você tem dificuldade para amamentar

- Você está tendo problemas em seu relacionamento com seu cônjuge ou outra pessoa importante

- Você tem um sistema de suporte fraco

- Você tem problemas financeiros

- A gravidez não foi planejada ou indesejada


Complicações

Se não for tratada, a depressão pós-parto pode interferir no vínculo mãe-filho e causar problemas familiares.


Para mães. A depressão pós-parto não tratada pode durar meses ou mais, às vezes tornando-se um transtorno depressivo crônico. Mesmo quando tratada, a depressão pós-parto aumenta o risco da mulher de episódios futuros de depressão grave.


Para pais. A depressão pós-parto pode ter um efeito cascata, causando tensão emocional em todos os que estão próximos de um novo bebê. Quando uma nova mãe está deprimida, o risco de depressão no pai do bebê também pode aumentar. E os pais de primeira viagem já correm maior risco de depressão, independentemente de seu parceiro ser afetado ou não.


Para crianças. Filhos de mães com depressão pós-parto não tratada têm maior probabilidade de apresentar problemas emocionais e comportamentais, como dificuldades para dormir e comer, choro excessivo e atrasos no desenvolvimento da linguagem.



Prevenção


Se você tem histórico de depressão - especialmente depressão pós-parto - informe o seu médico se estiver planejando engravidar ou assim que descobrir que está grávida.


Durante a gravidez, o seu médico pode monitorá-la de perto quanto a sinais e sintomas de depressão. Ele pode pedir que você preencha um questionário de rastreamento de depressão durante a gravidez e após o parto. Às vezes, a depressão leve pode ser tratada com grupos de apoio, aconselhamento ou outras terapias. Em outros casos, os antidepressivos podem ser recomendados - mesmo durante a gravidez.

Depois que seu bebê nascer, seu médico pode recomendar um check-up pós-parto precoce para detectar sinais e sintomas de depressão pós-parto. Quanto mais cedo for detectado, mais cedo o tratamento pode ser iniciado. Se você tem histórico de depressão pós-parto, seu médico pode recomendar um tratamento antidepressivo ou psicoterapia imediatamente após o parto.


marketing medico digital.png