Parto Prematuro

Como identificar a chance de parto prematuro?

A medida do comprimento do colo do útero através do ultrassom transvaginal é clinicamente útil na predição do trabalho de parto prematuro nas seguintes situações:

  • Em mulheres assintomáticas com história prévia de parto prematuro e naquelas com alterações uterinas, como o útero unicorno, o comprimento do colo do útero deve ser medido a cada duas semanas entre 14 e 24 semanas de gestação.

  • Em mulheres assintomáticas sem histórico prévio de parto prematuro, a medida do comprimento cervical deve ser realizada de rotina no ultrassom morfológico de segundo trimestre entre 20 e 24 semanas.


Quais são as causas de parto prematuro?

Todos os nascimentos antes das 37 semanas de gestação são definidos como prematuros. Em um terço dos nascimentos prematuros, o parto é realizado para indicações médicas, principalmente pré-eclâmpsia e restrição do crescimento fetal. Em dois terços é espontâneo devido ao início prematuro do trabalho de parto ou à ruptura pré-termo de membranas no pré-parto. De acordo com a idade gestacional podemos subdividir o parto prematuro em:


  • Prematuro extremo (<28 semanas), que ocorre em cerca de 0,25% das gestações.

  • Prematuro precoce (28 a 30 semanas), que ocorre em cerca de 0,25% das gestações.

  • Prematuridade moderada (31-33 semanas), que ocorre em cerca de 0,6% das gestações.

  • Prematuridade leve (34-36 semanas), que ocorre em cerca de 3,0% das gestações.

O risco de morte fetal e deficiência é aumentado principalmente nos subgrupos extremo, precoce e moderado. A prevalência geral de parto espontâneo antes de 34 semanas é de cerca de 1%.


Qual comprimento normal do útero?

O comprimento do colo do útero entre 20-24 semanas de mulheres que terão bebes à termo terão em média 34 mm. Entre as mulheres que tem parto prematuro antes de 34 semanas, 1% delas terão o colo menor que 15 mm e 10% delas terão o colo menor que 25 mm entre 20 e 24 semanas. Dentro desse grupo de colo curto, 20% das pacientes com colo menor que 15 mm terão bebes com menos de 34 semanas e com colo de 25 mm, 40% delas terão partos com menos de 34 semanas.


Prevenção de parto prematuro:


Mulheres com histórico de parto prematuro anterior tem o risco de nascimento prematuro espontâneo aumentado numa futura gestação. Além disso o risco de parto prematuro é inversamente relacionado ao comprimento cervical entre 20 e 24 semanas de gestação na atual gravidez. Logo, podemos dividir as mulheres em dois grupos para traçar medidas de prevenção:


  • Mulheres com um parto prematuro anterior.

  • Mulheres sem parto pré-termo anterior, mas encontradas através de um ultrassom demonstrando um colo curto na gravidez que apresentam risco aumentado de parto prematuro.


Mulheres com parto prematuro anterior


  • Cerclagem cervical: reduz o risco de nascimento antes de 34 semanas em cerca de 25%. Existem duas opções no tratamento de pacientes com nascimentos prematuros anteriores. Em primeiro lugar, a cerclagem eletiva em todas as mulheres logo após as 11-13 semanas de varredura não demonstra nenhuma anormalidade fetal importante. Em segundo lugar, a medida do comprimento cervical a cada duas semanas e a colocação de uma sutura somente se o comprimento cervical for inferior a 25 mm. A taxa geral de nascimentos prematuros é semelhante às duas abordagens, mas a segunda é preferível porque reduz a necessidade de cerclagem em cerca de 50%.


  • A progesterona: administrada de 20 a 34 semanas reduz o risco de nascimento antes de 34 semanas em cerca de 25%. A progesterona pode ser administrada através de um comprimido vaginal (200 mg) todas as noites.

Mulheres sem nascimento prematuro prévio, mas com colo curto:

Em mulheres com colo do útero curto (<25 mm) diagnosticadas por ultrassonografia transvaginal de rotina entre 20 e 24 semanas, três estratégias foram tentadas para reduzir o risco de nascimento prematuro:

  • A progesterona vaginal: em gestações únicas com colo do útero curto reduz a taxa de parto prematuro <34 semanas em 35-40%.

  • A cerclagem cervical: em gestações únicas com colo uterino curto e sem histórico prévio de parto prematuro reduz a taxa de parto prematuro <34 semanas em apenas 15%.

  • O pessário cervical: em gestações únicas com colo uterino curto foi examinado em estudos randomizados que relataram resultados contraditórios sobre o benefício na redução do parto prematuro.



Posts recentes

Ver tudo

Estrias na gravidez

As estrias são um incômodo comum durante a gravidez. As estrias se desenvolvem em nove entre dez gestações, geralmente no sexto ou sétimo mês. Essas estrias rosadas ao redor dos estômagos, seios ou qu

Parto normal após uma cesariana

Se você já fez uma cesariana, pode ter seu próximo bebê por via vaginal. Isso é chamado de parto vaginal após cesariana (também chamado de VBAC). Você poderá fazer um VBAC se sua gravidez for saudável

BOA FORMA NA GRAVIDEZ.png
101ReceitasdePapinhas_Imagem001_Anuncio_